“Prevenção é melhor que repressão”

Postado por Paulo Cezar Soares | Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

Ainda é possível encontrar nos nossos jornalões análises desprovidas de interesses políticos e de preconceito de classes. No último dia 24, o jornal O Globo publicou um artigo do juiz João Baptista Galhardo Junior contendo as características citadas.

Tendo como título “Prevenção é melhor que repressão” o juiz analisou um tema que tem sido recorrente na imprensa: a questão da violência praticada por menores de18 anos.

A opinião predominante como solução do problema é a redução da idade penal. Será que iria funcionar? Penso que não. É simplista demais. Entre outras coisas, não atinge a raiz do problema. Por que temos tantos menores vivendo uma situação não compatível com a sua idade? Como costumam ser tratados pelo aparelho policial? E pelas instituições que têm como função ressocializá-los? “ Se a pretensão é ressocializar, como alcançar este intento quando logo de início do processo o adolescente já é tratado como um bicho em uma jaula das mais degradantes”? - questiona o juiz João Baptista Galhardo Junior. A solução para o grave problema exige trabalho e investimentos. Ideais que surgem no calor  da hora, num clima de emoção, não são recomendáveis.

O juiz explica no seu artigo que o momento de atendimento inicial é de profunda importância para a recuparação do adolescente. “A atuação dos sistema de justiça e da rede de atendimento deve, portanto, ser rápida e eficaz. Por esta razão O ECA ( Estatuto da Criança e do Adolescente ) prevê que é essencial a integração do Poder Judiciário, Ministério Público, Segurança Pública, Assistêncial Social, Educação e Conselhos Tutelares. Esta ação articulada, realizada num mesmo espaço físico, tem sido chamada de Núcleo de Atendimento Integrado Multidisciplinar ( NAI ou NAM)”. O juiz ressalta que “a complexidade dos fatores que favorecem o envolvimento do adolescente com a violência e o crime requer uma ação que envolva e comprometa autoridades públicas, família e sociedade civil. Somente com a participação do Sistema de Justiça do Poder Executivo, dos pais e das forças da sociedade, conseguiremos fazer frente a tudo o que pode levar adolescentes a comprometerem o próprio  futuro e a tão almejada paz social”.

A sociedade precisa encarar o problema sem preconceito. E evitar respaldar medidas paliativas que, ao fim e ao cabo, vão acirrar ainda mais o ódio e o preconceito.
 

40 anos do martírio de Frei Tito

Postado por Paulo Cezar Soares | Domingo, 27 de Julho de 2014

Publicado no site Amaivos

Frei Beto

Em agosto faz 40 anos que frei Tito de Alencar Lima foi induzido ao suicídio, na França, devido às torturas sofridas sob a ditadura militar no Brasil. Tinha 28 anos. Fomos companheiros na Ação Católica, na Ordem Dominicana e no Presídio Tiradentes.

Na sexta, 8 de agosto, haverá celebração eucarística, às 19h, na igreja de São Domingos, em São Paulo (rua Caiubi 164), de onde Tito, em companhia de outros frades, foi retirado pelo delegado Fleury, em novembro de 1969, para ser seviciado no DEOPS.

Preso até janeiro de 1971, Tito foi libertado graças ao sequestro do embaixador suíço. Banido do Brasil e enviado para o Chile, refugiou-se na França.

No sábado, 9 de agosto, a partir de 9h30, haverá o seminário “Frei Tito e a revolução brasileira”, no auditório do Colégio Rainha da Paz (R. D. Elisa de Moraes Mendes 39, Alto de Pinheiros, São Paulo).

Alfredo Bosi abordará “Recordar frei Tito hoje”. João Pedro Stédile e padre José Oscar Beozzo falarão sobre “Sentido histórico da ditadura civil-militar no Brasil e o papel da Igreja na resistência armada”.

Após o almoço comunitário (a preço de R$ 8), Mariana Pasqual Marques e Ivo Lesbaupin abordarão “Educação popular como caminho para a libertação”.

O tema “Socialismo e lutas contemporâneas” será tratado pelo Levante Popular da Juventude e por mim. O evento se encerra às 17h.

Inscrições (gratuitas) e informações pelo site www.freititovive.wordpress.com e pelo facebook.com/freititovive
Recordar o testemunho militante de frei Tito neste ano de 2014, que marca o cinquentenário do golpe militar, é resgatar o exemplo de todos, homens e mulheres, que lutaram na resistência à ditadura.

O Brasil ainda guarda fortes sequelas dos 21 anos de regime militar (1964-1985) e nossa democracia permanece dominada pelos mesmos grupos econômicos que, patrocinados pela Casa Branca, subverteram nossa ordem constitucional e implantaram o terror como forma de governo.

Comemorar (no sentido de fazer memória) frei Tito é combater o memoricídio, esse empenho das forças conservadoras para impedir que os jovens conheçam a história recente do Brasil.

É estarrecedor constatar que, ainda hoje, nossas Forças Armadas, em resposta cínica e mentirosa à Comissão Nacional da Verdade, declarem que nenhuma instalação militar foi utilizada no período da ditadura para violar direitos humanos…

Tito, Rubens Paiva, Stuart Angel e tantos outros que perderam a vida em mãos de militares torturadores e assassinos são homens insepultos. O exemplo e o sacrifício deles clamam por justiça e fortalecem a esperança de tantos que, hoje, nas ruas, lutam por direitos sociais, pelo aprimoramento de nossa democracia (votemos no plebiscito pela reforma política na Semana da Pátria!) e por alternativas ao capitalismo, que aprofunda a desigualdade e a exclusão sociais.

Apenas um boato

Postado por Paulo Cezar Soares | Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

A Polícia Civil encerrou as buscas pelo corpo de Eliza Samudio, em um lote na cidade de Valparaiso, próximo ao Aeroporto Tancredo Neves, em Confins, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Quem falou onde estava o cadáver foi Jorge Luiz Rosa, 21 anos, primo do goleiro Bruno, ex-amante de Elisa, e condenado a 22 anos de prisão.

O primo de Bruno foi réu no caso. mas como era menor na época (2010), cumpriu apenas medidas socioeducativas e foi solto em 2012.

EM TEMPO: O primo de Bruno deveria ser punido por divulgar uma notícia falsa e mobilizar um aparato até o local.

Caso Sumaré: adolescentes terão proteção policial

Postado por Paulo Cezar Soares | Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Deve ocorrer nesta sexta-feira o depoimento dos dois PMs - Vinícius Lima e Fábio Magalhães - acusados de homicídio qualificado, tentativa de homicídio e ocultação de cadáver. A dupla é acusada de assassinar um adolescente no Morro do Sumaré. Os policiais atiraram também num outro adolescente que, mesmo ferido, fingiu que estava morto e conseguiu sobreviver. Ambos foram acusados de estar praticando pequenos furtos no centro  da cidade.

Um outro menor, que testemunhou o assassinato prestou depoimento na Divisão de Homicídios (DH), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. Ele trabalha como camelô na rua Uruguaina, centro do Rio, e foi também apreendido pelos PMs e levado para o Sumaré. No seu depoimento disse para os policiais da DH que só não morreu porque conseguiu convencer os PMs que trabalhava. E que não estava envolvido em crimes. Os dois adolescentes que sobreviveram foram incluídos no programa de proteção de testemunha.

Os dois PMs estão presos no Batalhão  Especial Prisional - BEP. 

 

Depoimento adiado

Postado por Paulo Cezar Soares | Terça-feira, 22 de Julho de 2014

Silvio Magalhães Ferreira e Vinícius Lima Vieira, ambos cabos da PM e suspeitos de matar um menor e ferir um outro no Morro do Sumaré, Zona Norte da cidade, no dia 11 de junho último. Os policiais estavam à procura, no centro da cidade, de dois menores que estavam cometendo assaltos. Ao detê-los, não os encaminharam para a delegacia, como manda a lei. No Sumaré, um menor foi morto e o outro baleado, fingiu que estava morto e fugiu. Os PMs pediram à polícia para adiar o depoimento que seria prestado nesta terça-feira, na Divisão de Homicídios ( DH). O pedido foi aceito.

A partir do depoimento dos PMs, o delegado Rivaldo Barbosa pretende esclarecer alguns detalhes que não  estão claros, como por exemplo, o sumiço das imagens de segurança da viatura policial, por cerca de 10 minutos. Além disso, onde está um terceiro menor, que também foi detido, libertado no caminho e depois teria pego uma carona com os policiais?   

Novo depoimento de PMs acusados de matar adolescente

Postado por Paulo Cezar Soares |

Está marcado para hoje (terça-feira) novo depoimento dos PMs Fábio Magalhães Ferreira e Vinícius Lima, acusados de matar um adolescente de 14 anos, no Sumaré. Tentaram também matar um outro adolescente, que fugiu, após ser baleado nas costas. Os PMs, que estão presos, serão interrogados pelo delegado titutlar da Divisão de Homicídios (DH), Vivaldo Barbosa.

De acordo com o delegado, os PMs serão interrogados a respeito de um terceiro jovem que aparece nas imagens do circuito de segurança da viatura. O delegdo quer saber também, por que sumiram dez minutos desta gravação, além da identificação do rapaz.