A triste rotina da Rocinha

Postado por Paulo Cezar Soares | segunda-feira, 2 de Outubro de 2017

Só um governo  que tenha compromisso com o povo trabalhador e com o interesse público terá condições de  mudar a realidade das favelas cariocas, e de todo o Estado, em  relação à violência urbana. Na Rocinha, Zona Sul do Rio, os tiroteios continuam ocorrendo. Os moradores não têm paz.

Nesta segunda-feira um casal da Csota Rica estava próximo à rua 1 e descia  a favela em companhia de um guia turístico quando começou um tiroteio. Felizmente, apesar do susto, o casal não foi atingido.

Sou contra o turismo em favelas. Os turistas querem ver o quê? Pessoas passando necessidades? Trata-se dos interesses mercadológicos explorando a miséria alheia. Capitalismo que não respeita nada, nem ninguém. É a glamourização da pobreza. Triste! Muito triste!

Após a retirada das Forças Armadas da favela na última  sexta-feira, A PM reforçou o policiamento. E enviou para o local suas tropas especiais.